7.29.2005

Faça o seu floco de neve



Precisar de um floco de neve ninguém precisa, mas que é um baratinho fazer o seu próprio, isso é...E foi o que fiz! Esse que está aqui...
Detalhe: na página ele fica diferente, branco e cristalino como na vida real.

Retratos Latinos



Juan Manuel Castro Pietro é um fotógrafo espanhol que retrata a América Latina de forma muito especial e sensível. As fotos são na maioria preto e branco e muito bonitas...

7.28.2005

Banheiros diferentes



A Bathroom Mania é uma empresa de design especializada em deixar os banheiros com um novo visual. Mais moderno, interessante e divertido.

Como está seu conhecimento cinematográfico?



Uma série de quizz sobre cenas de filmes, onde os personagens foram "apagados" para que você possa identificar esse filmes. Bem bacana!

7.27.2005

Pin Ups



Uma coleção de pin ups lights desenhadas por Rion Vernon. Algumas dão uns headshots ótimos...

Uma imagem...



Uma montagem que fiz usando a foto de uma cabeça de mármore. A idéia era dar movimento crescente ao que sempre estará parado e eterno...

7.26.2005

Temas de TV



Um site muito bacaninha com temas de várias séries de televisão divididas por ano e tipo. Também tem uns artigos interessantes sobre essas séries. Dá pra ouvir a música e ainda baixar o arquivo para o computador.

Jelly Back



Imagine um detetive que tem uma espinha mole e não consegue andar ereto? E ainda persegue um inimigo cruel que é doido para ferrar com ele.
Esse é o Jelly Back e suas aventuras podem ser acompanhadas nessas engraçadas animações.

7.25.2005

Crie Origamis diferentes



Pra quem gosta de Origami é um prato cheio de modelos e como fazer cada um deles. Tem uns bem legais de figuras místicas, seres do mar etc..

Mascotes do Passado



Um site dedicado aos mascotes e figuras de propagandas do passado e que foram relegadas ao esquecimento total do público.

Julgue o livro pela capa



Uma série de capas de livros B colecionadas pelo Jim, divididas por temas e que são interessantes de se ver...

7.22.2005

Allan Teger



Allan Teger faz um trabalho bem legal usando o corpo humano como "fundos geográficos" de suas fotos em preto e branco.

As capas da Mad brasileira



Aqui os fãs vão poder ver todas as capas da Mad desde o primeiro exemplar publicado aqui em 1974. Tem umas que são clássicas e geniais como essa do filme Tubarão.

7.21.2005

A procurada



Alguém a viu governando por aí?

Maggie Taylor



Com uma mistura de cartões do passado, montagens, surrealismo e muita criatividade, Maggie Taylor faz um trabalho muito interessante e inusitado.

Animais muito estranhos...



Uma galeria de animais criados pela imaginação humana. Alguns são bem estranhos mesmo...

7.20.2005

Living Dead Dolls



Quem espera encontrar bonecas com carinhas angelicais e sorrisos rosados, está no lugar errado. Góticas, macabras e sujas, essas bonecas mortas-vivas podem ser compradas através desse site e ainda vem acompanhadas dos seus respectivos atestados de óbito.

Real ou digital?



Aqui você pode fazer um teste onde tem que tentar adivinhar o que é foto de um objeto real ou criação digital. Algumas são bem difíceis de adivinhar...

7.18.2005

Um dia na vida de uma carioca otimista

Acordo com o som forte e extremamente retumbante da britadeira de umas das cinco obras de CEG que já duram uns três anos no meu quarteirão. Espreguiço pensando no longo dia que terei pela frente e não sei exatamente se o tremor que sinto é da potente ferramenta ou se vem da quebradeira do banheiro do vizinho.

Ao tomar banho sinto um gosto estranho na água, mas acredito ser excesso de cloro colocado na tentativa de purificá-la. Apanho o jornal para me inteirar das novidades e como não estou no clima, descarto todas as notícias sobre violência, corrupção e escândalos. Me sobram os quadrinhos e a página da tv.

Como faço quase todos os dias, vou até a padaria tomar meu café da manhã. No meio do caminho desvio de uns quatro mendigos, o que não foi de todo o mal. Normalmente são bem mais. Tomo tranquilamente meu café e sou abordada de surpresa dentro do próprio local por três menores de rua de uns 1,70 m pedindo para que eu pague seus lanches.


Sigo então para o ponto de ônibus e ao atravessar a rua sou quase atropelada por uma bicicleta que vinha na contra mão, com o sinal fechado e ainda sou xingada de cegueta aos berros. Chego no ponto e após perder dois ônibus que passaram batidos e na velocidade da luz, finalmente consigo pegar um ao ficar bem em frente e correndo o risco de que passasse por cima de mim. Tudo pela pontualidade.

No Centro da Cidade sou obrigada a exercitar o nobre esporte de corrida de obstáculos ao desviar dos diversos tipos de camelôs, bancas, vendedores de cd's piratas e balas. Ao chegar no prédio que trabalho percebo que dos quatro elevadores disponíveis, só dois funcionam e perco um tempo razoável na fila de espera. Já não vou ser tão pontual assim...
Passo o dia normalmente. Chefe estressado com os prazos e metas. Colegas fazendo fofocas uns sobre os outros. Computador travando toda hora. Ar desligado por economia. Telefone tocando sem parar. Filas enormes no restaurante a quilo e sem gosto do quarteirão. Típico.
Finalmente hora de ir embora!


Louca para chegar em casa, saio correndo pela rua pra pegar o primeiro ônibus que se dispor a parar e não percebo umas das 325 pedras portuguesas soltas na calçada. Umas delas acerta em cheio meu dedinho. E mesmo sentindo muita dor vou espremida dentro do tal ônibus, que na teoria só cabem 60 pessoas, e que por alguma lei da física não estudada vão umas 95 ou mais.

Ufa! Em casa! Ponho gelo no dedo já roxo, inchado e doendo muito. Depois de muita compressa e remédio me rendo aos fatos e vou procurar um hospital. Vai que quebrou...
Sou obrigada a pegar um táxi que me faz pagar bandeira dois fora do horário e ainda dá umas voltinhas pra aumentar o valor da corrida.
Eis que chego na emergência e constato que devo passar a madrugada por lá ao verificar o tamanho imenso da fila de espera. Além disso, meu caso não é considerado tão urgente assim. Afinal o que é um dedo quebrado perto de baleados, acidentados, gestantes em trabalho de parto há horas e enfartados? Consigo ser atendida lá pelas 4:30 da manhã, o que não foi de todo mal porque vai sobrar um tempinho pra dar uma cochilada.
Estava tão cansada que nem o tiroteio na favela me atrapalhou o sono.

E antes de dormir penso como é bom morar numa cidade tão maravilhosa...

Escrito em 25/04/05 por Silvia Nay

7.17.2005

Designers criativos



Que tal ter um aquário na sua privada? Não por acaso ele se chama Aquariass e pode ser visto e comprado junto com outros objetos não convencionais nesse site.

A arte no Jazz



Misturando pintura a óleo, imagens de músicos de jazz e fundos que parecem vitrais, esse artista que não tem sua identidade divulgada, faz um trabalho bem diferente e bacana. Vale a pena dar uma olhada nas animações também...

7.16.2005

Linha do tempo de uma família



Acompanhe através das fotos o crescimento dessa família argentina desde 1976 até os dias de hoje. Interessante...

Ei! Estamos de olho em você...

7.15.2005

Feitos de cera



Uma série de imagens de artistas, personagens e famosos, todos feitos em cera. Tem uns que são tão perfeitos que parecem de verdade.

Mundo Moderno

- Pai! Mãe! Preciso contar uma novidade!
Seu Adamastor olhou com desconfiança pro seu filho Gilmar e pensou na bomba que vinha agora. Cada hora era uma coisa. Já tinha passado por quatro faculdades e dois cursos técnicos e ainda não tinha encontrado algo que, segundo o filho, tivesse feito sua alma vibrar. Como se almas e fantasmas vibrassem igual telefone celular...
Dona Inocência saiu rapidinho da cozinha, com a sensação de que agora ele ia dizer que casaria com aquela magrelinha, como era o nome dela mesmo? Não importa! Queria muito ter netos e ela parecia ser uma boa menina. Magrinha demais, meio desbotada, mas de boa família. Depois de casados, faria suas famosas lasanhas e em dois anos no máximo, a garota estaria no ponto.
E foram eles esperar pela grande notícia.
- Virei metrosexual!
- Que bom meu filho! Você aprendeu a dirigir trem naquele curso que fez ano passado? Engraçado, achei que era pra aprender a consertar computador...
- Do que você está falando, mãe?
- Não é pra trabalhar no metrô?
- Não, nada a ver...
Nesse meio tempo, seu Adamastor ficou martelando na cabeça a última parte da palavra...Sexual. Meu Deus! Será que meu filho virou? Bem que estava achando estranha essa história de comprar roupa nova toda hora, fazer mecha loura em salão e não quis ficar olhando muito, mas tinha certeza que os pêlos do seu peito tinham sumido.
- Mãe, metrosexual é o homem moderno, antenado com as novidades, que cuida do exterior...
- Filho, você virou veado?
- Adamastor! Isso lá é jeito! Filho, não liga pro ranzinza do seu pai. Te amamos do mesmo jeito.
E olhou para o marido com raiva. Tentava parecer moderna e compreensiva, mas no fundo estava em frangalhos. Não teria mais netos...Fazia força pra não chorar.
- Queísso pai...Continuo espada! E sendo metrosexual, as garotas vão cair em cima. Tá na moda ser sensível.
- Você quer dizer que as mulheres gostam de homem fresco?
Gilmar respirou fundo pra explicar ao cabeça dura do pai o que era essa novidade. E pensava: tenho que ter paciência...tenho que ter paciência...
- O mundo mudou e não é só as mulheres que se tratam hoje em dia. O homem conquistou o direito de se arrumar, de ser vaidoso, de falar sobre arte, de fazer plástica e botar botox...
Os pais ficaram calados enquanto Gilmar se empolgava e falava cada vez mais sobre as vantagens da descoberta de um novo mundo masculino.
E foram para o quarto, calados. Nem conversaram entre si para saber o que achavam da novidade. Não entendiam aonde haviam errado.
Semanas depois, o filho estava depilado, pintado, com pulseiras e anéis. E horrores dos horrores, a sobrancelha feita.
Mas o telefone não parava. Cada hora era uma nova voz feminina procurando pelo filho. E ele na rua o tempo todo e feliz da vida.
Seu Adamastor só olhava, balançava a cabeça e pensava no que o mundo tinha virado. Homens afrescalhados fazendo sucesso com as mulheres e mulheres anoréxicas, sem peito e sem bunda, fazendo sucesso com os homens...


Escrito por Silvia Nay

7.14.2005

Museu da Arte ruim



Sites e museus com obras primas da pintura existem aos montes. Mas que tal um só para arte ruim? Aí é que está o diferencial desse aqui. Coisas como essa pintura aí de cima é só um exemplo...

7.13.2005

Várias faces de Batman



Um site com mais de 200 imagens desse personagem que já foi desenhado por vários artistas e estilos diferentes. Até quem não é fã vai gostar...

Dice Tsutsumi



Gostei bastante do traço desse artista, Dice Tsutsumi. Acho que vale uma visita...

7.12.2005

Nosso Bobo da Corte

Há algum tempo a Inglaterra fez um concurso para voltar com a figura do Bobo da Corte no seu quadro de funcionários da realeza. Os candidatos tinham que mostrar habilidades condizentes com o cargo como contar piadinhas, ter trejeitos corporais engraçados, caretas divertidas etc...

O Brasil, sem querer, foi precursor da volta dessa esquecida profissão ao eleger Lula para seu presidente. Milhões oPTtaram pelo Bobo da hora. E esse Bobo teve a melhor campanha pra que todos achassem que seus guizos chacoalhavam melhor e mais sonoros. Suas piadas sobre o que faria, caso fosse eleito, eram as que mais geravam risos de satisfação nas massas, nos intelectuais e até mesmo nos alienados políticos. Mudou sua forma de vestir e até ficou mais simpático, risonho. Até porque não existe Bobo carrancudo...

E a banca examinadora foi quase unânime na escolha do seu novo Bobo. Milhões votaram e festejaram pelas ruas à volta dessa figura tão importante em qualquer Corte desenvolvida.
Extrapolou os limites do seu reino e foi bajulado e aplaudido por outras realezas mundo afora por causa da sua piada imbatível sobre a fome mundial e como acabar com ela. Em função dessa súbita valorização seu ego inchou e achou que poderia ser o líder mundial dos Bobos. Com isso passou a viajar mais e mais e a Corte que o elegera pra diverti-la quase não o via...Mas eram pacientes e tinham orgulho do seu Bobo agora tão famoso.


Mas o Bobo não percebeu que os tempos mudaram e que seu repertório estava repetitivo e um Bobo tem sempre que ter piadas novas na manga. Assim, contada a exaustão, sua piada sobre a fome perdeu a graça e ninguém mais o aplaudia...

Depois de quase três anos ausente, voltou ao seu país e tentou contar novas piadas para os súditos, além de sempre relembrar as antigas para não perder o hábito. Mas ninguém ria mais...Sem entender o porquê daquela mudança de atitude, ainda fez um pequeno esforço para que voltassem a gostar dele. Prometeu, discursou, chorou, usou outros chapeis de bobos para agradar e tantas outras coisas. Mas só uma parcela ainda era fiel ao já desiludido Bobo.
E assim seguia sua já não tão brilhante carreira...


Um dia o Bobo acordou e descobriu que seu principal assessor de Assuntos Bobocas era suspeito de corrupção pesada e grandes armações. Trabalhava na sala ao lado, mas o Bobo nada sabia ou desconfiava...

Descobriu que os chefes da Associação de Bobos, ao qual pertencia, estavam envolvidos com esquemas mirabolantes e suspeitos. Estavam sempre juntos, eram amigos íntimos, mas o Bobo nada sabia ou desconfiava...

Descobriu que vários colegas da Câmara de Caretas Infames recebiam dinheiro para que votassem nas suas piadas. E que esse dinheiro saia da tal Associação...Mas o Bobo nada sabia ou desconfiava...

E o Bobo só sabia falar, falar, falar e falar. Não agia, não reagia. Seus guizos só sabiam tocar de forma dissonante, irritantes e extremamente repetitivos.

E o Bobo começou a fugir da mídia que tanto adorava. Começou a falar coisas sem sentido e já não queria mais ser Bobo de novo. Um dia sumiu dentro do grande castelo e só foi encontrado dias depois por um auxiliar de limpeza. Mais barbudo do que já era, com as roupas coloridas em frangalhos, olhar fixo e arregalado e repetindo sem parar a frase:
- Como podia saber? Sou apenas um Bobo...Como podia saber? Sou apenas um Bobo...


Escrito por Silvia Nay em 12/07/05

7.11.2005

Joe Sorren



Uma arte ao mesmo tempo angelical, distorcida e interessante...